sábado, 28 de junho de 2008

Corrigindo trabalhos

Uma coisa que me surpreendeu neste primeiro semestre como professor é como alguns alunos são preguiçosos para colar. A grande maioria (pelo menos até onde eu saiba) dos meus alunos tem sido honestos comigo, e muitos dos trabalhos estão muito bons; mas vários trabalhos são obviamente plágios de cópias de páginas da internet, em alguns casos arrancados palavra por palavra daquela mais segura de todas as fontes: A wikipédia. Não estou surpreso por alguns puxarem parágrafos inteiros da wikipédia para seus trabalhos; mas eles me acham tão besta a ponto de não reparar as similaridades entre seus artigos e os verbetes didáticos da wikipedia? Eles acham que eu nunca entrei na internet, ou são os trapaceiros mais incompetentes que já viveram?

------

Minha intenção não é- e de fato nunca foi- insultar qualquer um dos meus alunos, que são, em sua vasta maioria, dedicados e apaixonados pela teologia e por Deus. O post foi apenas escrito num momento de frustração; e acreditem, é frustrante ver alunos que você respeita colando. Quem sabe eu sou novato e bobo demais, e por isto não consigo enxergar isto como normal e aceitável, não sei. Só sei que não consigo. Não num curso superior. E não, pelo amor de Deus, num curso de teologia.

11 comentários:

Gustavo Nagel disse...

Este é certamente o maior prejuízo de se ter um incluído digital como professor. Não que os meus fossem, mas, para evitar surpresas desagradáveis, costumava traduzir os artigos da versão em inglês -- que, em geral, são até mais completos. E, a propósito, faça-me o favor de reprová-los.

João Lemos dos Santos disse...

Desconsiderarei seu conselho por dois motivos. Primeiro, porque você colava também, seu trapaceiro tradutor. E segundo, por ter me chamado de provinciano!

(Sou um blogueiro vingativo, e puno os insultos dos pais até a terceira e quarta geração).

Fabrício disse...

John John, não seja tão severo (deixe isso com o Júlio).

Foi patético rs, mas peça para que eles refaçam o trabalho, talvez valendo 1 ou 2 pontos a menos, já será castigo suficiente.

Até!

Eber disse...

Zero! Zero! Zero! Zero!

André disse...

Perdoe a intromissão, caro João, mas professor que não cumpre as ameaças que faz perde o respeito rapidinho. Se quiser não dar zero até dá pra entender, mas a partir do próximo período reflita a respeito e só faça ameaças que pode e deseja cumprir.

Abraço!

Gustavo Nagel disse...

Ah, eu não diria melhor, André. Esse era o meu ponto, João. Ou deveria ser, hehe.

João Lemos dos Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Não se esqueça que têm alunos seus que lêem este blog, e ficariam um pouco chateados em ver você falando desta maneira, João.

João Lemos dos Santos disse...

Anônimo, você está certo, é claro. Escrevi o post num momento de frustação, e olhando para trás acho realmente que não deveria ter falado dos problemas dos meus alunos. Irei remover alguns detalhes incriminadores, nos quais algum aluno poderia se reconhecer, mas mantenho o post. Acho que todo aluno deveria saber exatamente o que seu professor pensa de pessoas que copiam da internet. Mesmo se a opinião que o professor tem de pessoas que fazem isto é muito, muito baixa.

Anônimo disse...

Você deveria se quedar contente, visto que dispensa boa parte de seu precioso tempo na frente da Wikipedia.

João Lemos dos Santos disse...

Anônimo, Anônimo, com aquele comentário do filme e agora este, minha mente lerda e devagar começa a deduzir coisas. Você não seria um aluno (ou aluna) que recebeu nota baixa em uma de minhas matérias, seria? Porque deixar comentários anônimos é coisa tão rude. Diga seu nome, explique sua dissatisfação, e prometo que verei o que posso fazer.