quinta-feira, 3 de julho de 2008

A ciência faz obsoleto crer em Deus?

Em nossa intimidade, nós modernos continuamos insatisfeitos. Cedo ou tarde encaramos uma crise existencial, e reconhecemos em nossas vidas algo destruído, desordenado, pedindo por redenção. O fato de que possamos reconhecer a desordem, a destruição e o pecado significa que estes ocorrem um uma situação maior de ordem, beleza e bondade, ou em princípio não poderíamos reconhecê-los como tais. Ainda assim a destruição e a desordem são dolorosamente presentes, e a alma humana por sua própria natureza busca algo mais, uma felicidade mais profunda, um bem definitivo. A contemplação da ordem e da beleza na natureza pode nos conduzir a um Algo, ao "deus dos filósofos", mas contemplar nossa incompletude pode nos levar além, a procura de um alguém que é o Bem de nós todos.

A ciência nunca tornará esta procura obsoleta.


(Final da resposta do Cardeal Schönborn, Arcebispo de Viena. Tradução da casa. As outras você pode ler aqui.)

2 comentários:

Gustavo Nagel disse...

Interesting. Me interessei por alguns dos que responderam. Vou gastar um tempinho os lendo.

João Lemos dos Santos disse...

Interessante, e- penso eu- correta, esta última parte. A doutrina da depravação total é a mais certa e segura de toda a religião cristã, e serve não apenas como fundamento para entender o homem, mas como propulsor na busca por Deus.